Teoria da Evolução?

Leiam por favor com todo o cuidado e atenção a seguinte mensagem, que vos trago do Site “A Jornada” de Randal Niles, um ex-ateu praticante que se lançou numa viagem crítica na tentativa de analisar a validação lógica do ateísmo quando directamente confrontado com os factos que a Ciência e a História nos dão a conhecer em pleno século 21.

crossroad

Para quem conhece a motivação do Apologia.pt já deverá suspeitar o que aconteceu com o agora Cristão Randal Niles, mas deixo um excerto de uma das suas páginas onde ele relata a sua procura pela verdade no mundo das Ciências, nomeadamente relacionadas com a Teoria da Evolução, ou Darwinismo, a rocha de repouso intelectual do ateu. Se aqueles que se identificam com o ateísmo tão somente abrissem os olhos e não aceitassem com uma fé cega aquilo que lhes é dito sobre a suposta evolução do Ser Humano…

———

Teoria da Evolução – Como realmente funciona?
A teoria da evolução, conforme ilustrada na árvore evolutiva na minha sala de aula do ensino secundário, só lidava com a cadeia macro-evolutiva entre seres orgânicos. Através de um rápido estudo, eu encontrei pelo menos outras cinco etapas fundamentais de evolução que seriam necessárias antes de qualquer possibilidade de vida orgânica. Na verdade, na teoria geral, cada etapa parecia ser essencial para a próxima…

A primeira é a “Evolução Cósmica” – a ideia de que o tempo, espaço, matéria e energia de alguma forma “explodiram” (ou expandiram) do nada devido ao repentino “big bang”, causando o nascimento do nosso universo. A segunda etapa é a “Evolução Estelar”. Já que se acredita que o Big Bang produziu apenas hidrogénio, hélio e uma variedade de partículas subatómicas, esses elementos devem-se ter de alguma forma condensado em estrelas por algum tipo de processo evolutivo. A terceira fase é a “Evolução Química”. De acordo com o pensamento geral, os únicos elementos químicos produzidos pelo Big Bang foram hidrogénio e hélio (e possivelmente lítio). Como resultado do calor e da pressão incríveis no interior das estrelas, os elementos originais de alguma forma evoluíram para os outros 88 elementos químicos que ocorrem naturalmente e que são observados hoje.

A quarta etapa é a “Evolução Planetária”. Os elementos químicos que supostamente evoluíram dentro das estrelas antigas foram de alguma forma ejetados, possivelmente por mortes violentas dos ciclos de vida estelar, libertando grandes nuvens de compostos espirais. Essas nuvens de elementos químicos de alguma forma formaram sistemas solares bem organizados/sintonizados, incluindo o nosso. A quinta fase é a “Evolução Orgânica” (também conhecida como “geração espontânea”). A teoria é que o planeta Terra começou como uma massa de matéria fundida alguns biliões de anos atrás. Ao esfriar, tornou-se uma rocha sólida e seca. Depois, choveu sobre as rochas por milhões de anos, formando grandes oceanos. Eventualmente, essa “sopa de rocha pré-biótica” (rocha + água) passou a existir e gerou os primeiros sistemas orgânicos de auto-replicação.

OK, neste ponto eu tinha mais perguntas do que nunca, mas pelo menos eu tinha alcançado a base da tão chamada árvore de evolução. Aqui é onde ocorre a sexta fase da teoria geral da evolução – “macro-evolução”. Acredita-se que todas as criaturas vivas compartilham um ancestral comum: um organismo unicelular relativamente “simples” que evoluiu a partir de matéria inorgânica (a chamada “sopa de pedra”). Essencialmente, os pássaros e as bananas, os peixes e as flores, são todos geneticamente relacionados. Ah, precisamos adicionar mais um … O sétimo e último estágio da teoria é “micro-evolução”. Micro-evolução é a variação e variedade de características expressas em “tipos” de organismos sexualmente compatíveis. Os exemplos incluem as diferenças entre os vários tipos de cavalos, cães, gatos, etc. Esta variação “dentro de uma espécie” é o que Darwin observou em meados do século 1800 e o que nós ainda observamos hoje …

OK, vamos recapitular … A teoria evolutiva aparenta ter sete fases distintas, interrelacionadas e estabelecidas pela ciência, na seguinte ordem:

Evolução Cósmica. O desenvolvimento do espaço, tempo, matéria e energia a partir do nada.

Evolução estelar. O desenvolvimento de estrelas complexas a partir dos primeiros elementos caóticos.

Evolução Química. O desenvolvimento de todos os elementos químicos provenientes dos dois primeiros.

Evolução planetária. O desenvolvimento de sistemas planetários a partir de elementos espirais.

Evolução orgânica. O desenvolvimento da vida orgânica a partir de matéria inorgânica (rocha).

Macro-evolução. O desenvolvimento de um tipo de vida a partir de um outro tipo totalmente diferente.

Micro-evolução. O desenvolvimento de variações dentro do mesmo tipo de vida.

Curiosamente, os livros de ciência e os documentários de televisão declaram que apenas a sétima fase – Micro-Evolução – tem sido observada e documentada. As seis primeiras fases da evolução são apenas suposições … Mas tudo bem, não é lógico usar observações micro-evolucionárias para ligar os pontos em todos as outras necessárias “fases de evolução”?

Espere um momento. Mas de onde isto veio em primeiro lugar? Será que realmente começou com Darwin? Posso encontrar todas essas informações no livro de Darwin? Será que cheguei a ler esse livro? Parece que toda a gente se lembra de ter lido o livro “Origem das Espécies”, mas quantos de nós realmente o possuímos? A evolução Darwiniana foi apresentada como um facto tão estabelecido na minha classe de biologia de secundário que eu achava que não havia nenhum motivo para voltar e ler a dissertação original e teórica … Esse era o meu pensamento naquela época, mas agora tudo era diferente, por isso decidi ler o livro de Darwin por mim mesmo…

Próxima página.

———

Este pequeno excerto permite perceber alguma da complexidade que envolve os processos chamados “evolutivos” por aqueles que se dizem ateus. Desta forma recomendo a leitura das páginas seguintes do Site de Internet onde Randal Niles nos dá a conhecer o trajeto da sua viagem do ateísmo para o Cristianismo, e qual deverá ser o destino comum para aqueles que se dizem racionais e sustentam as suas decisões com base na lógica.

Eu apenas posso partilhar a informação, a escolha final terá de ser sua, mas eu confio que usará de razão para se aproximar do Deus que o/a criou e não da fé cega que os ateus têm numa (falsa) cosmovisão materialista/evolucionista para se afastar Dele.

Se estiver interessado em saber mais sobre esta “viagem”, leia mais aqui.

Se quiser saber mais sobre descobertas científicas atuais que desmistificam a chamada Teoria da Evolução / Darwinismo, viste o site Darwinismo, com novos artigos científicos traduzidos para Português quase diariamente.

Facebooktwittermail

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.